‘Cantar as Janeiras’, una tradición que se conserva viva

La VII edición del ‘Cantar as Janeiras’ cuenta con grupos ya asíduos de años anteriores, pero también con la participación, por primera vez, de algunas coletividades del municipio que quieren formar parte de esta experiencia etnográfico-cultural. No restan dudas, la consolidación de este evento es confirmada por el permanente interés en mantener viva esta tradición, quiere de la parte de los grupos participantes quiere del público que llena el Cineteatro para asistir.
Cada grupo va a presentar la creación de su propia canción que deberá tener como mote el Navidad, los Reyes, las Janeiras y Cerveira. Con el objetivo de identificarse y enriquezcan el más posible esta tradición, los elementos participantes se visten a rigor, con un traje tradicional.
La presentación de los grupos inscritos en el ‘Cantar as Janeiras’ 2016 se hace, como habitualmente, por orden alfabética, en consonancia con la siguiente ordenación:  Amigos da Misericórdia, Associação Cultural e Recreativa do Divino Salvador de Covas, Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Cerveira, Coral Polifónico de Vila Nova de Cerveira, Coro do Colégio de Campos – Academia de Música de Valença, Clube Desportivo de Cerveira, Grupo de Cavaquinhos de Lovelhe, Orballo e às Nove Alí, Pauta de Caprichos – Associação Musical de Vila Nova de Cerveira, Rancho Folclórico de Campos, Rancho Folclórico de Sopo, Rancho Folclórico e Etnográfico de Reboreda, Rancho Folclórico e Infantil de Gondarém, Se Eu Podia Viver Sem Conhecer Cerveira? Podia, Mas Não Era A Mesma Coisa e Tuna da Universidade Sénior de Cerveira.
De subrayar, una vez más, la presencia de un grupo gallego del Rosal, el Orballo ? A las Nueve Alí que, con las sonoridades típicas de Galicia, también insiste en desear un buen año a los vecinos cerveirenses.


 

A VII edição do ‘Cantar as Janeiras’ conta com grupos já assíduos de anos anteriores, mas também com a participação, pela primeira vez, de algumas coletividades do concelho que querem fazer parte desta experiência etnográfico-cultural. Não restam dúvidas, a consolidação deste evento é confirmada pelo permanente interesse em manter viva esta tradição, quer da parte dos grupos participantes quer do público que enche o Cineteatro para assistir.

Cada grupo vai apresentar a criação da sua própria canção que deverá ter como mote o Natal, os Reis, as Janeiras e Cerveira. Com o intuito de se identificarem e enriquecerem o mais possível esta tradição, os elementos participantes vestem-se a rigor, com um traje tradicional.

A apresentação dos grupos inscritos no ‘Cantar as Janeiras’ 2016 faz-se, como habitualmente, por ordem alfabética, de acordo com a seguinte ordenação: Amigos da Misericórdia, Associação Cultural e Recreativa do Divino Salvador de Covas, Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Cerveira, Coral Polifónico de Vila Nova de Cerveira, Coro do Colégio de Campos – Academia de Música de Valença, Clube Desportivo de Cerveira, Grupo de Cavaquinhos de Lovelhe, Orballo e às Nove Alí, Pauta de Caprichos – Associação Musical de Vila Nova de Cerveira, Rancho Folclórico de Campos, Rancho Folclórico de Sopo, Rancho Folclórico e Etnográfico de Reboreda, Rancho Folclórico e Infantil de Gondarém, Se Eu Podia Viver Sem Conhecer Cerveira? Podia, Mas Não Era A Mesma Coisa e Tuna da Universidade Sénior de Cerveira.

De sublinhar, uma vez mais, a presença de um grupo galego do Rosal, o Orballo – Às Nove Alí que, com as sonoridades típicas da Galiza, também faz questão de desejar um bom ano aos vizinhos cerveirenses.

Print Friendly, PDF & Email
Me gusta
Me gusta Me encanta Me divierte Me asombra Me entristece Me enfada